quarta-feira, 3 de abril de 2013

O Guru


(A propósito desta notícia)

O Sr. Miguel Gonçalves que, quando questionado sobre as políticas de emprego do governo, afirma-se ignorante em matéria política, não lhe interessando se o governo "é para um lado ou para o outro". O grande problema é que, quando Miguel Gonçalves diz aos jovens que estes devem ter uma cultura de mercado no trabalho, ou quando lamenta os impostos que se pagam e que poderiam "pôr pessoas a trabalhar", isto tem um conteúdo político e ideológico, mas que escapa à sua auto-afirmada ignorância política.

Mais do que tudo, a ideia de que as soluções residem exclusivamente no indivíduo, em particular, quando diz que qualquer jovem de 20 anos consegue arranjar 100€ por mês para estudar, "nem que seja a vender pipocas". Para além de ficar demonstrado o afastamento que Miguel Gonçalves tem da realidade de um estudante universitário e das despesas que este tem, estas afirmações têm como corolário que cada um é culpado pelo seu próprio insucesso. Toma-se a igualdade de oportunidades como adquirido, não se admitindo que estas estão vedadas à partida para muitos e que a forma de corrigir essa realidade não é através de mecanismos de mercado.

No fundo, trata-se de uma reedição do discurso do "não sejam piegas", mas de camisa branca e ténis vermelhos...

1 comentário:

Jorge Frade disse...

Na minha modesta opinião, acho que ele tem muita razão no diz em alguns aspectos.
Embora possa utilizar alguns exemplos desfasados da realidade, as ideias e noções principais do seu discurso fazem bastante sentido (quando direccionados para uma pessoa individual).
No entanto penso que não é um tipo de discurso adequado a alguém ligado ao governo (com agora está).